Ser Flamengo é ter alma de herói

"Há de chegar talvez o dia em que o Flamengo não precisará de jogadores, nem de técnico, nem de nada. Bastará a camisa, aberta no arco. E, diante do furor impotente do adversário, a camisa rubro-negra será uma bastilha inexpugnável."

Excursão para ver Deus - Capítulo I

O Ídolo Eterno 

O Zico continua sendo o Deus eterno, principalmente da torcida do Flamengo, isso sem falar no Japão onde é idolatrado. O cara já parou de jogar, mas o carinho e o amor pelo atleta, pelo homem, pelo ser humano continua a mesmo. No meu site sempre entra mensagens com os mais variados comentários e pedidos para que eu transmita ao Galo. Em resposta, sempre recomendo que as pessoas entrem no site dele (www.ziconarede.com.br) e falem diretamente.

Todavia, um dos pedidos que me chamou muito a atenção pela dramacidade, foi de um rapaz chamado Fábio Justino, que faz questão de identificar como negro, pobre, morador da baixada e Cristão. Depois de vários papos, via net, ele me mandou o e-mail abaixo:

"Nome : Fábio Antonio Justino
E-mail : dabaixadabbb@yahoo.com.br
Mensagem : Fala Moraes,

torno a te escrever depois de algum tempo, na verdade não há nada de muito interessante pra te dizer...*rs Sabe que depois daquele episódio com o time azul de 2ª divisão eu não consegui me refazer a ponto de ainda não ter pisado no Maraca ? Mas vida que segue... Creio que ainda vamos chegar entre os 10, mas pra nós que torcemos pro Flamengo isso é se contentar com muito pouco né !!

Deixe-me aproveitar o ensejo e te contar algo. Cara !!! Caso (provavelmente) em dezembro próximo e tú sabe (ou já deve ter ouvido falar) que vida de pobre, com pouco estudo e morador da Baixada não é mole ?

Depois do casamento devo parar de vez com as minhas "peregrinações" atrás do Flamengo... A grana encurta, a responsabilidade aumenta e aí já viu né ?

Mas durante todo esse tempo que passei no anônimo acompanhando meu MENGÃO ainda carrego comigo uma frustração, CARA !!! Eu não conheço o ZICO !

Sei que isso é coisa séria e que você dificilmente faria isso por alguém que você não conhece (como é o meu caso), mas pense e repense nesse pedido, vai fazer um negão de 27 anos feliz pra caramba..."

Fiquei com uma pena danada e decidi, como presente de casamento, promover um encontro dele com o Zico. Enviei o e-mail pro Zico e dois dias o Galo me respondeu que teria o maior prazer em recebe-lo quando ele viesse ao Brasil. Fiquei tão contente com a resposta que retransmiti para o Fábio.

Pra que fiz isso?. O cara urrava de felicidade. Fez todos os planos possíveis e me enviou outro e-mail forte:

"Nome : Fábio Antonio Justino
E-mail : dabaixadabbb@yahoo.com.br
Mensagem : Fala Moraes,

C ara, minha felicidade não tem limite. Você imagina que quando criança, pobre, tinha um pai bêbado que caia na sarjeta. Eu e meu irmão íamos busca-lo para traze-lo pra casa. Minha única alegria na vida era ouvir pelo rádio o jogo do Flamengo e falar sobre o Zico. Toda a raiva pela minha situação, pela vergonha que passava era saber que um dia eu iria conhecer o Zico. É o maior sonho da minha vida conhecer esse cara..."

Caraca, quando li o e-mail do cara meus cabelos ficaram "arrepiados". Detalhe: sou completamente "careca"... Já viu né???

Acompanho sempre as andanças do Zico pela imprensa mundial e também pelo site dele . Outro dia li em uma revista européia, pela Internet, que no jogo entre Índia e Japão, pelas eliminatórias para a próxima Copa do Mundo, a simples presença do Galo naquele País, teve uma comoção nacional tão grande, que o Governo da Índia colou uma divisão do exercito protegendo o cara tal o assedio dos fãs.

Pois bem. O Zico veio ao Brasil e marquei o tal encontro do Fábio no CFZ ( Centro de Futebol Zico) na última quarta-feira. A esta altura todos os amigos também queriam ir, principalmente a molecada. A princípio tinham uns 100 marcados, entre eles o Hilton Mattos, jornalista esportivo que está escrevendo um livro sobre os 45 torcedores mais "folclóricos" do Brasil e tem o sonho de o Zico escrever a Orelha do livro. Na minha academia, BodyTech-Copabana a galera queria alugar um ônibus, entre alunos, funcionários e professores, desde minha gerente Aline até o coordenador de natação Alex Barbosa.

A medida que ia chegando o dia pro encontro as atividades profissionais deles iam impedindo suas presenças. No final só sobraram 8 pessoas. Aí veio o pior. No dia do encontro, às 12hs, o Fábio me liga chorando dizendo que seu chefe (vascaino fdp) mandou ele escolher: Ou o Zico ou o emprego... A frustração dele foi inimaginável. Se fosse ao CFZ seria demitido...

Caramba. Fiquei no meio de campo sem a bola. Porra, a razão principal do encontro com o Zico era o Fábio. Fazer o quê? Vou lá com a molecada pelo menos dá satisfação. Fui eu, Marquinhos (que foi comigo na Copa do Japão e Diretor Financeiro da minha empresa), o Fernando Andrade, filho da Produtora Cultural Heloisa Rezende que mandou um belíssimo livro sobre o Pão de Açucar), Rodrigo Naumann, Helton Fernandes, Professor Gabriel, meu Personal Trainer, Gabriel Armiliato e Danilo, irmão do Professor Gabriel.

Na véspera o Zico me mandou um e-mail dizendo que tinha jogo do CFZ contra o Independente às 3hs. Se eu chegasse antes ele me atenderia e depois estaríamos liberado. Avisei a galera que deveríamos chegar antes do jogo pois o Zico é foda. Tem mil e um compromissos. Mas o babaca que vos escreve (e dono do site, porra!!!) tem natação de 1 as 2 da tarde e não abre mão disso de jeito nenhum. Resumindo. Chegamos lá 3.15hs e o jogo já tinha começado.
Pensei: Fudeu. O Zico só vai me atender depois do jogo, a molecada vai me matar.
Não deu outra. O primeiro a mandar na lata foi o Marquinhos.

- Porra crioulo, não dava pra cancelar a merda da natação pelo menos um dia? Agora só vamos sair daqui no final da noite. Ver só que escroto!
- Rodrigo: é isso mesmo, caralho! Tu é feio mesmo. Tu acha que um dia de natação vai te deixar mais bonito???
- Eu - Porque vocês não vão a merda em???
- Fernando - Eles tem razão, macaco. Eu tenho que ajudar na divulgação do livro da minha mãe às 6hs
;
- Helton - Eu tenho curso pre-vestibular às 6hs;
- Professor Gabriel - Tenho que dá aula às 6hs;
- Marquinhos - e tenho que voltar pro escritório porra;
- Rodrigo - eu tenho inglês às 6hs;
- Gabrielzinho - minha mãe vai me matar. Num avisei nada prela;
- Danilinho (10 anos) - Tô com saudade da minha mãe...
- Moraes - Porque vocês não vão tomar no Cu...

Pra quê falei isso? Todos os olhares convergiram pra mim com ódio... Pensei rápido. Esses caras vão me matar... Falei gaguejando...
- Vou comer galera... e sai fora sem olhar pra trás. Pelo barulho senti que eles foram atrás de mim...
- Caralho, se eles me pegam vou apanhar muitooooooo!!! E andei mais rápido até a lanchonete.
Eles chegaram:  uma coxinha aqui, um guaraná acolá, um pão de batata daqui, um quibe de lá serviu pra descontrair a molecada e voltou tudo ao normal. Depois do lance fomos conhecer o CFZ. O que me chamou bastante atenção foi uma espécie de Museu que o Zico mandou fazer dentro do Centro, que é uma coisa maravilhosa de altíssimo bom gosto. Um painel com fotos, filmes, reportagens sobre ele que eu, que o acompanho desde o Juvenil nem sabia que existia. Aí vai até uma crítica construtiva para o Galo. Aquele museu não foi bem divulgado. A maioria das pessoas não sabem que existe, pois é uma fonte de pesquisa não só da história do Zico, mas principalmente do Flamengo e da Seleção Brasileira. Genial, simplesmente genial.

Depois encontramos o Adílio, que fez parte daquele timaço do flamengo campeão do mundo. Batemos um belo papo e tiramos fotos para o site. Quando terminou o jogo o Zico veio ao nosso encontro. Como sempre amigo, simpático e atencioso. Atendeu a todo mundo pacientemente, tirou todas as fotos solicitadas, autografou o que foi pedido e perguntou:

- Cadê o Fábio? Expliquei o ocorrido e ele se prontificou a atender o cara em sua própria casa, se preciso e/ou em outra data.

A emoção da molecada ao ver o cara foi indescritível. Os olhos dos mais novos brilhavam numa mistura de emoção e incredulidade. Porra, eles estavam frente a frente com um Deus!!!

Depois da tietagem, agradecemos ao Galo e voltamos para Copacabana, todo mundo em êxtase total. Felicidade não tem preço.

Pela milésima vez. Obrigado Galo.

Sou o filho predileto de Deus.

Valeu